Sumiço, filme e a JBC

•13 de Julho de 2010 • Deixe um Comentário

Ai ai… Eu realmente tinha planos para posts em volta do final da série. Só que ocorreram uns problemas, meu PC precisou de manutenção me deixando “off” por aprximadamente 3 semanas. O anime e o manga terminaram. Minha inspiração para os posts… foram por água a baixo. Minha vez de pedir desculpas U.U

Nesse meu post de agora, irei recaptular os eventos perdidos que ocorreram na produção de FMA B lá no Japão e na publicação da série aqui no Brasil. Primeiro, o último episódio do anime FMA Brotherhood foi ao ar na tv japonesa conforme previsto, mas uma grande novidade para os fãs foi anunciada: um longa animado para os cinemas está em produção. Não sei sobre nenhuma data de lançamento e nem se o filme será uma continuação direta da série ou contará uma história paralela, detalhes esses que talves sejam divulgados em breve. E dessa vez, eu vou avisa-los o mais cedo que eu puder.

Ok, segundo, a partir de agora, a distribuição no Brasil do manga será nacional, não setorizada. Isso significa que todos os pontos de vendas espalhados pelo Brasil receberão ao mesmo tempo os volumes ao invés de lançar primeiro no Rio de Janeiro e em São Paulo e só depois para o resto do país (acredito que o sistema funcione assim). Agora todos poderão comprar ao mesmo tempo em qualquer lugar onde FMA esteja a venda.

Alem daqui eu pretendo atualizar o post sobre os humúnculos colocando informação extra. Até lá eu me retiro.

FMA B terá 64 episódios

•8 de Junho de 2010 • 2 comentários

Esta é rapida. A Shounen Gangan deste mês (a de Junho, com o último capítulo de FMA) anunciou uma mudança em Fullmetal Alchemist Brotherhood.

A produção da BONES decidiu fazer mais um episódio de FMA, com o objetivo de adaptar o final do mangá com mais folga e provavelmente com menos cortes… ou nenhum.

A notícia não alivia só a mim mas muuuuuuitos fãs que estavam preocupados se daria ou não para adaptar todo o final do manga em somente 3 episódios.

Resumindo, FMA B terminará somente em 4 de Julho^^

Não haverão outras continuações (aparentemente) e o Sumário do episódio 64 não foi divulgado (ainda).

Abertura de game de FMA para PSP

•21 de Maio de 2010 • 4 comentários

O jogo de PSP baseado em Fullmetal Alchemist teve sua abertura divulgada. Confira:

A apresentação tá ótima. Os gráficos não são de se impressionar muito, pois os discos do PSP são do tipo UMD (Universal Media Disc) e só podem armazenar até 1.8 GB. Nesse caso, vamos torcer para que o game traga uma boa jogabilidade.

Bom fim de semana pessoal^^

Mais um jogo para PSP: Fullmetal Alchemist Brotherhood

•10 de Maio de 2010 • Deixe um Comentário

Bom dia, hoje eu estou trazendo o novo trailer do jogo Fullmetal Alchemist Brotherhood para o PSP:

Trago mais informações sobre o jogo logo que for possível. Por hoje é só.

[Atualizado]Não haverá um final filler!!!

•7 de Maio de 2010 • 1 Comentário

Estou muito alegre de dar esta notícia. Em Reta final eu falei de uma chance de quase 100% de haver um final filler em FMA B. Pela 1ºvez na vida eu fico 100% feliz por quebrar a cara😄

No que diz respeito a dúvida se o anime teria um final diferente do mangá , o diretor do anime, Yasuhiro Irie, confirmou via Twitter que já teve acesso ao desfecho da trama escrito pela própria Arakawa-san e relatou que anime e manga terminarão da mesma forma.

Por outro lado o diretor ficou assombrado com tamanha quantia de volumes que terá para terminar no anime até junho, quando FMA será substituído na programação da TBS pela segunda temporada de Sengoku Basara, animação baseada num game da Capcom. Espera-se que o anime termine no episódio 63. Por isso, existe a possibilidade de haverem cortes.

Não existe uma previsão para a série chegar no Brasil (eu também não sei quanto a Portugal). Pelo Brasil, o mangá é publicado pela JBC e está coladinho com o japonês, tendo sua 48ª edição (equivalente a 24 no original) publicada recentemente.

Edit: Para os que leem o manga na internet, o capítulo deste mês estará com 80 páginas. E o capítulo final será um especial de 150 páginas O.O

Desvendando a filosofia dos alquimistas #2

•22 de Abril de 2010 • 1 Comentário

Parte 2 finalmente

Na parte 1 vimos a história da filosofia grega e seus objetivos, relevando possíveis proximidades com o universo dos alquimistas em FMA. Agora vejamos o principal conceito que liga a filosofia grega com os alquimistas de FMA, em minha teoria:

Verdade

O que é verdade? Na época do surgimento da filosofia grega, aceitava-se como verdade o que a tradição, as autoridades e os deuses determinavam.

Ora, os primeiros filósofos buscaram um novo conceito de verdade – uma verdade bem fundamentada o suficiente para que ninguem pudesse refutá-la. Uma verdade que libertaria o povo da autoridade arbitrária dos deuses, reis, oligarcas e tiranos e  das profecias dos sacerdotes. Em FMA, boa parte das pesquisas dos alquimistas são uma busca infinita pela verdade.

A verdade procada na época teria de ser um conhecimento definitivo, necessário e absoluto. Para um conhecimento ter tais características, deveria abranger tudo o que existe no universo. Estamos falando, nesse caso, de um conhecimento universal. Essa verdade devia ser válida para todos, acima das particularidades, raças, nações e mitos regionais. Um conhecimento válido em todo lugar.

A mentalidade mítica imaginava imaginava que a qualquer momento poderiam surgir novos deuses, novos herois e, o que é pior. novos monstros com poderes sobre humanos. O homem vivia inseguro e temoroso da vida e da morte.

A filosofia grega, naquela época, veio para libertar o homem da insegurança e do temor; quem descobre a ordem universal não tem medo de nada, pois tudo estará previsto. Nem deuses poderiam contrariar a verdade total. Na série, em minha teoria inicial, isso explicaria as palavras de Ed no capítulo 1:

Ironicamente, apesar de não acreditarmos em Deus, somos nós alquimistas que, em alguns aspectos, estamos mais próximos de Deus…

Nessa parte, eu penso que ele pode se referir não a um deus propiamente dito, mas a alguma energia cósmica mantendo o equilibrio do universo. Enfim, continuando…

Em tese, os alquimistas da série formulam interpretações da realidade cuja fundamentação está na tradição e/ou na conformidade com os dizeres místicos dos deuses. Suas interpretações são fundamentadas na verdade argumentada da razão. Isto é filosofia, nascida da convicção de que existem verdades humanas acima das críticas sacerdotais. Por causa disso algumas pessoas dizem que conhecimento leva ao ateísmo. Eu sinceramente acredito nessa possibilidade U.U

Desvendando a filosofia dos alquimistas #1

•14 de Abril de 2010 • 2 comentários

Se vermos o diálogo entre Rose e Ed no capítulo 1 do mangá, podemos notar que a filosofia dos alquimistas é referente a filosofia da Grécia antiga que teve início em torno dos séculos VI e Va.c. Por essa época começou-se a repensar a natureza, o ser humano e as divindades com um olhar crítico. Procurava-se saber a validade dos próprios conhecimentos. Até que ponto a cultura era fruto de fantasias e crenças dos antepassados? O que garantia que as tradições recebidas dos anciões eram verdadeiras? Esta pode, em teoria minha, ser a filosofia dos alquimistas em FMA. Uma filosofia que questiona os fundamentos da cultura. Veremos seus conceitos nessa série de posts:

Mito X Filosofia

A Grécia antiga desenvolveu-se na península Balcânica, rodeada de muitas ilhas. O relevo montanhoso facilitou a formação de grupos humanos isolados e autônomos, como foram de fato as cidades estados (as polis).

O solo pouco fértil foi compensado pale presença de ótimos portos naturais. Assim, os gregos puderam desenvolver a navegação, possibilitando o crescimento comercial e a riqueza das cidades-estados.

O aumento populacional levou à procura de terras férteis e a criação de muitas colônias nas regiões  mediterrâneas. A fiscalização e proteção dessas colônias eram tarefa da frota grega.

Nos séculos VI e Va.c, as polis conheceram o apogeu econômico, político e cultural. Foi exatamente nessa época que surgiu o confronto entre Mito e Filosofia.

Tanto o mito quanto a filosofia são formas que o homem utiliza para explicar o mundo. Em FMA o objetivo dos alquimistas é desvendar os mistérios do mundo em que vivem. Todos os três visam responder aos questionamentos sobre o sentido da vida, surgimento do universo e do homem, assim como justificar as normas que garantem a vida em comunidade. Ao buscar essas explicações, as pessoas tentam estabelecer a estrutura de sua cultura.

Durante um longo período da história grega, a mitologia constituiu a fonte exclusiva de explicação para a existência do homem e de organização do mundo. As interpretações imaginárias criadas por ela foram adquirindo autoridade por serem antigas. As divindades constituiam as personagens que explicavam tanto a natureza humana como os resultados das guerras e os valores culturais.

Em virtude do desenvolvimento e dos contatos culturaiscom outros povos, os gregos cultos sentiram necessidade de encontrar uma linguagem mais universal e rigorosa para justificar o universo e as própias instutições. O mito parecia-lhes, cada vez mais, uma forma de expressão regional, particular, uma cristalização de interesses locais. Resumindo, o mito já não satisfazia as necessidades culturais da época.

Surge, então, a linguagem folisófica, trazendo novos conceitos culturais, baseados na razão, no pensamento, que irão substituir as criações míticas.

Ou seja, tensão estabelecida. De um lado, queriam manter o mito. Do outro, filósofos rejeitavam o mito, democratizando o sistema político. Essa “briga” perpassa a história e continua até hoje ¬¬. Fim da parte 1.